Sistema esquelético

Você está aqui: Home / Anatomia e Fisiologia Animal / Sistema esquelético

O sistema esquelético possui diversas funções, entre elas, a sustentação e proteção de órgãos
O sistema esquelético possui diversas funções, entre elas, a sustentação e proteção de órgãos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe:

O sistema esquelético reúne um conjunto de ossos e estruturas formadas a partir de cartilagem, tendões e ligamentos que permitem a movimentação do corpo, a sustentação, o apoio para músculos, a proteção de órgãos vitais, além, é claro, de servir como um local de armazenamento de substâncias, como cálcio e fósforo, e produzir células sanguíneas.

No nosso corpo, 206 ossos perfeitamente unidos através de articulações formam o chamado esqueleto. Os ossos que compõem essa estrutura podem ser classificados de acordo com seu formato em:

- Longos: são aqueles que apresentam comprimento maior que a largura. Exemplo: fêmur e tíbia.

- Curtos: são aqueles que apresentam comprimento, largura e espessura equivalentes. Exemplo: carpos e tarsos.

- Planos: apresentam um comprimento e largura maiores que a espessura. Exemplo: costela e escápula.

- Irregulares: como o próprio nome indica, apresentam formatos variados. Exemplo: vértebras e ossículos da orelha.

- Sesamoides: são pequenos e arredondados, além de estarem presentes em tendões e ligamentos. Exemplo: patela.

O esqueleto humano pode ser dividido em duas grandes porções: o esqueleto axial e o apendicular. O esqueleto axial é aquele que forma o eixo principal do corpo e é constituído pelo crânio, vértebras, costelas e esterno. Já o esqueleto apendicular é constituído pelos membros (braços e pernas). Essas duas porções são unidas por meio das chamadas cinturas pélvicas e escapular. A primeira é formada pelos ossos do quadril, enquanto a segunda é formada pela escápula e clavícula.

No local onde dois ossos estão em contato, dizemos que existe uma articulação. Nelas, pode ser possível ou não realizar movimentos. As articulações chamadas de móveis são aquelas que permitem a movimentação. Como exemplo, podemos citar aquelas encontradas nos ossos dos braços e das pernas. Existem ainda as articulações imóveis, também chamadas de fixas, que não permitem a movimentação. Um exemplo desse tipo de articulação é observado nos ossos do crânio. Alguns autores sugerem ainda a classificação de algumas articulações em semimóveis, uma vez que permitem movimentos pequenos. As articulações da coluna são um exemplo dessa ocorrência.

Quando uma articulação é móvel, percebe-se nas extremidades dos ossos a presença de cartilagem. Essas cartilagens, aliadas com o chamado líquido sinovial, impedem o desgaste desses ossos e, consequentemente, permitem que deslisem uns sobre os outros, sem maiores complicações.

Curiosidade: Você sabia que no momento do nascimento uma criança apresenta mais ossos que um adulto? Isso se deve ao fato de que muitos ossos se fundem durante o desenvolvimento.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: