Tipos de glândulas

Você está aqui: Home / Anatomia e Fisiologia Animal / Tipos de glândulas

Observe a glândula sudorípara e o ducto típico de uma glândula exócrina
Observe a glândula sudorípara e o ducto típico de uma glândula exócrina

Curtidas

0

Comentários

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

As glândulas são estruturas originadas de tecido epitelial, mais especificamente o tecido epitelial glandular. Essas estruturas são responsáveis por produzir substâncias que são lançadas no corpo para desempenhar as mais variadas funções.

As glândulas podem ser formadas por uma única célula (unicelular), como é o caso das glândulas caliciformes encontradas nas vias respiratórias, ou ainda apresentarem várias células agrupadas (pluricelular). De acordo com a forma como eliminam sua secreção, as glândulas pluricelulares podem ser classificadas em endócrinas e exócrinas.

Glândulas exócrinas

As glândulas exócrinas são aquelas que eliminam sua secreção na superfície livre, ou seja, na superfície do corpo ou na luz de órgãos. Elas possuem ductos especializados para eliminar as substâncias produzidas. Assim sendo, uma glândula exócrina apresenta duas porções distintas: a porção secretora e os ductos glandulares.

De acordo com a morfologia da parte secretora das glândulas exócrinas, é possível classificá-las em diferentes tipos: tubulosas, acinosas e compostas. O primeiro grupo, também chamado de glândulas exócrinas tubulares, possui porção secretora em forma de tubo. As acinosas, também chamadas de alveolares, possuem um formato mais arredondado. Já as glândulas exócrinas compostas são uma combinação das duas formas descritas anteriormente.

Além da classificação com base na forma, podemos classificar as glândulas exócrinas de acordo com a forma como a célula elimina a secreção, isto é, em merócrinas, apócrinas e holócrinas. As glândulas merócrinas eliminam sua secreção de maneira que não ocorre nenhuma perda citoplasmática. Já as glândulas apócrinas perdem um pouco do citoplasma no momento da secreção. As holócrinas, por sua vez, eliminam toda a célula com a secreção, ou seja, a secreção é a própria célula.

São exemplos de glândulas exócrinas as glândulas salivares, sudoríparas, mamárias, figado, entre outras.

A hipófise é uma glândula endócrina que estimula diversas outras glândulas
A hipófise é uma glândula endócrina que estimula diversas outras glândulas

Glândulas endócrinas

As glândulas endócrinas destacam-se por compor o sistema endócrino e são responsáveis por secretar substâncias denominadas de hormônios. Diferentemente das glândulas exócrinas, as endócrinas não possuem ducto glandular e sua secreção é lançada diretamente no sangue, onde seguirá em direção ao órgão-alvo. Como exemplo desse tipo de glândula, podemos citar a tireoide, o ovário, o testículo, a suprarrenal, a hipófise e a paratireoide.

De acordo com a organização dessas células, as glândulas endócrinas podem ser classificadas em dois tipos básicos: a cordonal e a folicular. A cordonal apresenta células que se organizam em fileiras, e a folicular possui células que se agregam formando uma vesícula.

Glândulas mistas

Alguns autores consideram ainda outra classificação para as glândulas: a glândula mista. Como exemplo desse tipo de glândula, podemos citar o pâncreas, que possui uma porção responsável por produzir hormônios (insulina e glucagon) e outra responsável por produzir suco pancreático, que é lançado no intestino.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: