Vitamina B1

Você está aqui: Home / Biologia Celular / Vitamina B1

As castanhas são alimentos ricos em vitamina B1
As castanhas são alimentos ricos em vitamina B1

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

As vitaminas são substâncias necessárias em pequenas quantidades e exercem diversas funções no nosso organismo De uma maneira geral, elas podem ser classificadas em dois grandes grupos: as lipossolúveis e as hidrossolúveis.

As vitaminas hidrossolúveis dissolvem-se em água e não são armazenadas em nosso corpo. Nesse grupo, encontramos a Vitamina C e todas aquelas pertencentes ao Complexo B, como a vitamina B1.

Também chamada de tiamina, a vitamina B1 começou a ser estudada em virtude da ocorrência de uma doença denominada beribéri. Em 1897, Christiaan Eijkman observou que essa enfermidade era bastante semelhante àquela que acometia seus frangos, que eram alimentados com arroz polido. Em 1911, Casimir Funk identificou um fator no farelo de arroz capaz de acabar com os sintomas dessa doença em humanos e outros animais. Funk denominou esse fator de vitamina B1. Em 1926, Jansen e Donath conseguiram isolar esse fator; em 1936, a estrutura química da vitamina B1 foi determinada por Williams.

A vitamina B1 apresenta papel essencial no metabolismo dos hidratos de carbono, também chamados de carboidratos. Uma de suas funções que merecem destaque é a ativação de enzimas que controlam a decomposição de glicose em energia. Além disso, ela participa do controle de impulsos nervosos e do metabolismo aeróbico.

Essa vitamina, assim como a grande maioria desses compostos, deve ser adquirida via alimentação. Entre as fontes de B1, podemos citar a carne, cereais integrais, farelo de trigo, castanhas, leveduras e hortaliças. É importante destacar, no entanto, que, por ser uma vitamina hidrossolúvel, parte dela é perdida no processo de cozimento. Sendo assim, aconselha-se utilizar essa água para a produção de molhos como uma forma de não perder esse nutriente.

A absorção da vitamina B1 ocorre principalmente no duodeno, mas também pode ocorrer em outras porções do intestino delgado. Problemas de absorção, doenças que aumentam a necessidade do corpo dessa vitamina e alimentação deficiente podem desencadear a deficiência de B1. Além disso, alcoolistas e pacientes sob tratamento dialítico também podem apresentar esse problema.

A carência de B1 pode ser responsável por problemas graves de saúde, como é o caso da doença beribéri, já citada. Essa enfermidade provoca o comprometimento dos nervos periféricos, causando a diminuição da sensibilidade e da força muscular. Além disso, pode provocar paralisia e insuficiência cardíaca. A falta dessa vitamina também é responsável pela encefalopatia de Wernicke-Korsakoff, que causa problemas mentais, alterações motoras oculares e perda do controle da musculatura.

Em casos de deficiência de B1, recomenda-se a reposição dessa vitamina com suplementos a fim de diminuir os sintomas já descritos. Em pessoas que não apresentam problemas de saúde que influenciam a absorção e o aproveitamento da B1, uma alimentação saudável já é suficiente para evitar o agravamento de problemas. Atualmente se recomenda a ingestão, para homens adultos, de 1,2mg/dia dessa vitamina; para mulheres, a recomendação é de 1,1mg/dia.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: