Febre Chikungunya

Você está aqui: Home / Doenças / Febre Chikungunya

A febre Chikungunya é causada por um vírus
A febre Chikungunya é causada por um vírus

Curtidas

0

por Helivania

15 Mar 2017

Compartilhe:

A febre Chikungunya é uma doença causada pelo vírus Chikungunya, do gênero Alphavirus, e tem como vetor o mosquito Aedes aegypti. Ele foi isolado pela primeira vez em 1952, na Tanzânia. O nome Chikungunya deriva de uma palavra em Makonde que significa “aqueles que dobram”, em razão da aparência dos enfermos que apresentam fortes dores nas articulações.

Transmissão

A transmissão ocorre pelas picadas dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus contaminados. Pode ocorrer também a transmissão da mãe infectada para o feto, o que acaba provocando uma infecção neonatal grave. Em virtude dos protocolos de segurança atuais, a transmissão via transfusão é pouco provável.

A transmissão da febre Chikungunya ocorre pela picada do mosquito Aedes aegypti contaminado
A transmissão da febre Chikungunya ocorre pela picada do mosquito Aedes aegypti contaminado

Sintomas

Os sintomas podem surgir em até 12 dias após a picada do mosquito (período de incubação) e persistirem por cerca de 10 dias ou até mesmo meses. No entanto, muitos casos são assintomáticos.

Os sintomas são semelhantes aos da dengue e de outras doenças causadas pelo A. Aegypti. A diferença está no fato de o indivíduo infectado pelo Chikungunya apresentar dores muito intensas nas articulações.

A doença pode evoluir em três fases: aguda, subaguda e crônica. A fase aguda inicia-se após o período de incubação, persiste por cerca de 10 dias e pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Febre alta;

  • Artralgia (dor nas articulações) persistente, principalmente nas mãos e pés;

  • Dor de cabeça;

  • Dor nos músculos;

  • Manchas vermelhas na pele.

A fase subaguda surge quando o paciente apresenta uma persistência da artralgia, o que pode durar até três meses, atingindo a fase crônica.

Na fase crônica, os sintomas podem variar de acordo com o sexo e a idade:

  • Vômitos;

  • Sangramentos;

  • Úlceras orais;

  • Erupções na pele;

  • Dores articulares;

  • Febre;

  • Edemas.

Prevenção

A melhor forma de prevenção é o combate aos vetores. O uso de repelente e telas de proteção nas casas podem evitar a ação dos mosquitos.

Tratamento

Em casos de suspeita da doença, o médico deve ser consultado. Após avaliação clínica, podem ser solicitados exames complementares. O tratamento geralmente consiste em medicamento para alívio dos sintomas, hidratação e repouso.


Por Ma. Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

por Helivania

15 Mar 2017

Compartilhe: