Gonorreia

Você está aqui: Home / Doenças / Gonorreia

A gonorreia é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae
A gonorreia é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae

Curtidas

0

por Vanessa

01 Sep 2014

Compartilhe:

A Gonorreia, também chamada de blenorragia, é uma doença infecciosa causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, um diplococo gram-negativo. Sua transmissão é basicamente feita por via sexual, entretanto, pode ocorrer da mãe para o bebê (perinatal).

A bactéria infecta principalmente o pênis, a região do colo do útero, o reto, garganta e olhos. Os sintomas surgem normalmente após cinco dias da contaminação e a doença manifesta-se de maneira completamente diferente em homens e mulheres.

No homem, a gonorreia causa principalmente uretrite aguda. Dentre os principais sintomas, destacam-se ardência ao urinar e corrimento uretral, que se torna purulento após alguns dias. Em alguns casos, há presença de sangue. Como complicação comum, destaca-se a epididimite, uma inflamação da região do epidídimo, sendo que também podem ocorrer edema peniano, faringite, proctite e prostatite.

Na mulher, a gonorreia normalmente permanece assintomática ou apresenta sintomas leves, que dificilmente fazem com que a mulher procure um médico. Quando os sintomas estão presentes, normalmente são inflamação no colo do útero, uretrite, corrimento, dor ao urinar e sangramento no período entre menstruação. Quando a mulher está grávida, pode aumentar o risco de abortos e partos prematuros.

Como dito anteriormente, a gonorreia pode ser transmitida pela mãe ao bebê e causar graves danos ao recém-nascido. A criança com essa infecção normalmente apresenta uma condição chamada de conjuntivite gonocócica, que causa vermelhidão e surgimento de pus na região dos olhos. A doença é grave e, se não tratada corretamente, pode levar à perda de visão. Além disso, o recém-nascido com gonorreia pode desenvolver artrite.

Para realização do diagnóstico da doença, é necessário fazer a identificação da bactéria em material proveniente da uretra, do colo do útero ou reto. Em alguns casos, a identificação pode ser feita através de exames específicos de urina. O tratamento da gonorreia é baseado na administração de antibióticos que deverão ser indicados somente por um médico. É importante destacar que o tratamento deve ser feito também no parceiro sexual, mesmo que não esteja apresentando sintomas.

A doença não tratada adequadamente pode causar complicações nas articulações, fígado, sistema nervoso, sistema cardíaco, amígdalas e faringe. Além disso, pode causar infertilidade em homens e mulheres, bem como aumentar os riscos de gravidez ectópica. Estima-se que em aproximadamente 3% dos pacientes contaminados ocorrem a septicemia e o surgimento de artrite e dermatites.

Para prevenir a doença, é simples, basta utilizar preservativo em todas as relações sexuais, inclusive sexo oral e anal. O uso da camisinha, além de proteger contra grande parte das DSTs, evita uma gravidez indesejada.

Curiosidade: No ano de 2012, a Organização Mundia de Saúde alertou que formas resistentes a drogas da bactéria causadora da gonorreia estão se espalhando pelo mundo. Sendo assim, proteja-se sempre e não se automedique.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

01 Sep 2014

Compartilhe: