Leptospirose

Você está aqui: Home / Doenças / Leptospirose

Os roedores são responsáveis por transmitir a leptospirose
Os roedores são responsáveis por transmitir a leptospirose

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe:

A leptospirose é uma doença infetocontagiosa causada por bactérias espiroquetas do gênero Leptospira, sendo a mais conhecida a L. interrogans. A contaminação ocorre normalmente quando uma pessoa entra em contato com água, solo e até mesmo alimentos contaminados pela urina de roedores, principalmente.

Como ratos são encontrados frequentemente em esgotos e no lixo, torna-se comum o contágio por pessoas que vivem em locais submetidos a frequentes enchentes. Além disso, por ser transmitida por roedores, sua ocorrência é maior em áreas de baixa renda e saneamento básico inadequado. No Brasil, o maior número de casos está na região sul e sudeste.

Após o contato com a bactéria, a leptospirose pode demorar até um mês para manifesta-ser, sendo esse, portanto, o período de incubação da doença. Os sintomas iniciam-se de maneira repentina e podem ocorrer de forma leve ou grave.

Os principais sintomas da leptospirose são febre, dores musculares, principalmente na região das panturrilhas, dores de cabeça, olhos vermelhos, coloração amarelada da pele e olhos (icterícia), diarreias, vômito e tosse. Vale destacar que existem formas assintomáticas da doença.

A leptospirose não é uma doença simples, necessitando de cuidados para que não ocorra complicação do quadro. Em algumas pessoas, ocorrem quadros hemorrágicos, comprometimento dos rins e a morte. Vale destacar que a letalidade da doença gira em torno de 9% e, em casos mais graves, estima-se que esse valor chegue a 40%.

Para o tratamento da leptospirose, é fundamental a hidratação e a utilização de antibióticos, principalmente se o diagnóstico for realizado até o quarto dia da doença. O uso precoce de antibiótico evita a evolução para formas mais graves. Pessoas sem a icterícia podem receber tratamento em casa, mas em casos graves da doença, recomenda-se a internação para maiores cuidados.

A principal forma de evitar a leptospirose é não entrando em contato com água de áreas alagadas. Caso seja necessário fazê-lo, utilize botas de borracha e luvas. Outras formas importantes de prevenção é lavar sempre os alimentos, limpar e desinfetar a caixa d'água e criar formas de evitar a presença de roedores, o que pode ser feito com um bom acondicionamento dos alimentos, não deixar sobras de comida e ração espalhadas, acondicionar o lixo em sacos ou em latões, limpar quintais e não deixar entulho acumulado.

Vale destacar que em algumas partes do mundo já estão disponíveis vacinas contra a leptospirose, entretanto, em virtude da escassez de estudos, não é considerada uma medida muito segura.

ATENÇÃO: Apesar de os ratos serem os maiores envolvidos com a transmissão da leptospirose, outros animais, como bois, cabras e cães, também podem transmitir a doença.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: