Mutualismo

Você está aqui: Home / Ecologia / Mutualismo

O líquen é um exemplo de mutualismo obrigatório
O líquen é um exemplo de mutualismo obrigatório

Curtidas

0

Comentários

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

O mutualismo é uma relação ecológica que ocorre entre espécies diferentes e que beneficia todos os envolvidos na interação. Em virtude do caráter benéfico da associação, considera-se o mutualismo como um exemplo de relação harmônica. Além disso, o mutualismo é um exemplo de relação ecológica interespecífica, uma vez que ocorre entre organismos de espécies diferentes.

Tipos de mutualismo

O mutualismo pode ser classificado em dois tipos básicos: o mutualismo obrigatório e o facultativo. Denomina-se de mutualismo obrigatório a relação em que um organismo associa-se a outro de forma permanente, não sendo possível a sobrevivência das espécies envolvidas de maneira isolada. Já no mutualismo facultativo, os organismos associam-se, mas conseguem viver sem o outro de maneira isolada, sem haver nenhum prejuízo.

O mutualismo facultativo surgiu como substituição a uma relação ecológica conhecida por alguns autores como protocooperação. A substituição do termo foi sugerida porque, tanto no mutualismo como na protocooperação, os organismos são beneficiados pela interação. A única diferença entre essas relações era a interdependência dos organismos envolvidos.

Exemplos de mutualismo

  • Exemplos de mutualismo obrigatório

Como principal exemplo de mutualismo obrigatório, podemos citar os líquens. Os líquens são associações entre fungos e algas ou entre fungos e cianobactérias em que ambos os organismos encontram-se intimamente associados, de maneira que, ao observarmos a estrutura, acreditamos que se trata de um único organismo.

Nos líquens, a alga ou cianobactéria realiza a fotossíntese e fornece a matéria orgânica necessária para a sua sobrevivência e a do fungo. O fungo, por sua vez, absorve água e nutrientes, além de evitar a dissecação da alga.

Além do exemplo dos líquens, podemos citar as micorrizas, uma associação entre raízes de plantas e alguns fungos. Nessa relação mutualística, o fungo proporciona a absorção de minerais pela planta, e o vegetal garante o fornecimento de nutrientes.

O paguro e anêmona estabelecem uma relação de mutualismo facultativo
O paguro e anêmona estabelecem uma relação de mutualismo facultativo

  • Exemplos de mutualismo facultativo

Existem diversos casos de mutualismo facultativo, sendo, provavelmente, o mais conhecido a associação entre pássaros e alguns mamíferos. Alguns pássaros frequentemente são vistos alimentando-se de carrapatos presentes em animais, como bois. Nessa associação, o pássaro obtém seu alimento e, ao mesmo tempo, ajuda o mamífero, uma vez que o alimento é um parasito.

Outro exemplo que merece destaque é a associação entre o paguro e as anêmonas-do-mar. O paguro é um caranguejo que vive em conchas vazias que encontra no oceano. Nessas conchas, frequentemente são encontradas anêmonas, que acabam sendo transportadas pelo paguro. Nesse caso, o caranguejo é beneficiado, pois a anêmona garante-lhe proteção, uma vez que possui tentáculos urticantes. A anêmona, por sua vez, também é beneficiada, pois ganha o transporte.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: