Relações ecológicas interespecíficas

Você está aqui: Home / Ecologia / Relações ecológicas interespecíficas

Ao matar um organismo de outra espécie, os animais realizam predação
Ao matar um organismo de outra espécie, os animais realizam predação

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

As relações ecológicas interespecíficas são as interações que ocorrem entre organismos de espécies diferentes. Essas relações podem beneficiar os organismos ou não. Aquelas que beneficiam todos os envolvidos ou apenas um, sem prejudicar o outro, são chamadas de harmônicas ou positivas. Já aquela que prejudica pelo menos um dos envolvidos é denominada de desarmônica ou negativa.

A seguir listaremos as principais relações interespecíficas existentes, explicando como elas ocorrem e quem são os beneficiados ou prejudicados da relação.

Relações ecológicas interespecíficas harmônicas

  • Mutualismo: Nessa relação ecológica, organismos de espécies diferentes associam-se de modo que ambas as espécies sejam beneficiadas. O mutualismo pode ser obrigatório, quando a associação é permanente e indispensável, ou facultativo*, quando uma espécie pode viver isoladamente da outra. Como exemplo de mutualismo, podemos citar os líquens, que são associações de algas ou cianobactérias e fungos.

O líquen é um exemplo de mutualismo obrigatório
O líquen é um exemplo de mutualismo obrigatório

  • Comensalismo: um organismo alimenta-se dos restos de comida deixados por outro. Nesse caso, apenas um ser é beneficiado, mas não há prejuízo para outro. Um exemplo clássico são as rêmoras, que vivem associadas a tubarões e alimentam-se do resto de comida que esses seres deixam sair de sua boca.

  • Inquilinismo: uma espécie vive em outra sem prejudicá-la. Diferentemente do comensalismo, nessa relação, ocorre a busca por moradia.

Relações ecológicas interespecíficas desarmônicas

  • Competição interespecífica: Nesse tipo de relação ecológica, organismos de espécies diferentes competem pelo mesmo recurso, que pode ser água, comida e até mesmo território. Organismos herbívoros, por exemplo, podem competir por alimento em uma época de pouca chuva.

  • Predatismo: um organismo mata e alimenta-se de outro de espécie diferente. Aquele que mata é denominado de predador e aquele que morre é chamado de presa. Um crocodilo, ao se alimentar de um gnu, por exemplo, está praticando o predatismo.

  • Herbivoria: Quando um animal alimenta-se de uma planta, temos aquilo que chamamos de herbivoria. Zebras e girafas são exemplos de animais que realizam herbivoria.

  • Parasitismo: é uma relação ecológica em que um organismo vive no corpo de outro ser vivo e retira dele seu alimento (hospedeiro). Normalmente o parasita é bem menor do que o hospedeiro, como é o caso do piolho, um tipo de animal que vive retirando sangue do corpo dos seres humanos.

O piolho é um parasita que vive sobre a pele e alimenta-se de sangue
O piolho é um parasita que vive sobre a pele e alimenta-se de sangue

  • Amensalismo: ocorre a eliminação de substâncias que inibem o crescimento de outra espécie. Esse é o caso dos fungos do gênero Penicillium, que impedem o crescimento de bactérias.

*Atenção: O mutualismo facultativo é também chamado de protocooperação por alguns autores.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: