Sucessão ecológica

Você está aqui: Home / Ecologia / Sucessão ecológica

Nessa figura, é possível observar um local cheio de lava sendo colonizado por plantas
Nessa figura, é possível observar um local cheio de lava sendo colonizado por plantas

Curtidas

0

Comentários

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

A sucessão ecológica diz respeito às mudanças graduais e progressivas que ocorrem em um ecossistema até que ele atinja uma comunidade com o máximo de desenvolvimento possível. Durante esse processo, ocorre a colonização de uma área e mudanças na composição da comunidade, ou seja, progressivamente uma comunidade vai sendo substituída por outra mais complexa.

A sucessão ecológica pode ser classificada em dois tipos:

- Sucessão Primária: ocorre em ambientes que nunca antes foram ocupados por uma comunidade. Como exemplo desse tipo de sucessão, podemos citar o surgimento de vida em afloramentos rochosos e lavas vulcânicas solidificadas (veja figura acima).

Nesse tipo de sucessão, observa-se um ambiente de difícil estabelecimento de organismos. Surgem, nesse cenário, as espécies pioneiras, que possuem capacidade de se estabelecer em locais com condições severas.

Um exemplo clássico de espécie pioneira são os líquens, organismos formados pela associação de algas ou cianobactérias com fungos. Esses seres são capazes, por exemplo, de se estabelecerem em rochas, onde lançam ácidos capazes de formar uma pequena camada de solo por meio da desagregação da rocha. A partir desse solo, é possível o desenvolvimento de novos seres e, consequentemente, o estabelecimento de outras comunidades.

- Sucessão Secundária: ocorre em ambientes em que já existiu uma comunidade anteriormente. Nesse caso, o desenvolvimento de uma nova comunidade já conta com a presença de matéria orgânica, uma vez que a biota original foi apenas parcialmente alterada. Entre os exemplos desse tipo de sucessão, podemos citar as áreas desmatadas e clareiras.

A sucessão ocorrerá até que a comunidade torne-se razoavelmente estável e muito complexa. Quando uma comunidade atinge esse ponto, passamos a chamá-la de comunidade clímax, a última etapa de uma sucessão ecológica.

Ao longo da sucessão, uma série de tendências é observada até que se atinja a comunidade clímax, sendo a principal delas a complexidade da cadeia alimentar. Com o aumento do desenvolvimento de um ecossistema, mais cadeias vão surgindo e uma teia alimentar forma-se. Assim sendo, em ecossistemas maduros, observa-se uma maior diversidade de espécies, além de seres vivos com ciclo de vida longo e mais complexo.

Além da complexidade da cadeia alimentar, outros eventos podem ser observados durante a sucessão, tais como:

- Aumento da biomassa total;

- Estabilização da produtividade primária bruta;

- Equilíbrio entre a fotossíntese e a respiração;

- Diminuição da produtividade líquida;

- Aumento da velocidade de reciclagem dos nutrientes.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: