Darwinismo

Você está aqui: Home / Evolução / Darwinismo

Estátua de Charles Darwin no Museu de História Natural de Londres
Estátua de Charles Darwin no Museu de História Natural de Londres

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe:

Darwinismo é o nome dado à teoria proposta por Charles Darwin para explicar como ocorre a evolução das espécies. Essa teoria criou forma após esse naturalista inglês realizar uma viagem ao redor do mundo a bordo de um navio chamado H.M.S. Beagle.

Durante a viagem, que se iniciou em 1831 e terminou em 1836, Darwin realizou diversas observações a respeito da fauna e flora mundial que o fizeram perceber que os organismos vivos modificavam-se através do tempo. Ao fim da viagem, ele não compreendia bem o mecanismo evolutivo, apenas aceitava que ele existia.

Em 1838, Darwin leu o trabalho de Thomas Malthus em que o autor fazia relação entre o aumento da população humana e a fome. Segundo Malthus, a população crescia em progressão geométrica, enquanto os alimentos, por sua vez, cresciam em progressão aritmética. Isso com o tempo levaria a população à fome.

Após a leitura, Darwin concluiu que, nas outras populações de seres vivos, o tamanho populacional não aumentava como acontecia com os humanos e que, de alguma forma, o meio impunha um limite nesse crescimento. Segundo Darwin, haveria uma “luta pela sobrevivência” e apenas aqueles com características mais vantajosas poderiam sobreviver e reproduzir-se.

Os indivíduos com características menos vantajosas não sobreviveriam às pressões do meio e, consequentemente, não se reproduziriam. Dessa forma, com o tempo, os indivíduos com essas características desapareceriam. Surgiu aí o conceito de seleção natural, no qual apenas o organismo mais apto é selecionado pelo meio e transmite suas características aos seus descendentes.

Segundo Darwin, depois de várias gerações, características seriam passadas e as espécies ficariam muito distintas daquelas que as originaram. Dessa forma, surgiriam novas espécies de uma maneira direcional, lenta e gradual. Darwin afirmava também que todos os seres vivos sofriam mudanças, sendo assim, todos os organismos existentes no planeta atualmente em algum momento da historia evolutiva compartilharam um ancestral comum.

No ano de 1858, Darwin recebeu uma carta de Wallace, um naturalista inglês. Na carta, o naturalista contava suas ideias, que eram muito parecidas com as conclusões de Darwin. Os dois, então, escreveram um trabalho que foi apresentado em uma reunião da Sociedade Linneana.

Diante das conclusões semelhantes de Wallace, Darwin apressou a publicação de seu trabalho e, em 1859, publicou sua obra mundialmente conhecida: A Origem das Espécies. Nesse livro ele apresentou sua teoria da evolução, na qual dois pontos merecem destaque: a seleção natural e a ancestralidade comum.

O darwinismo, apesar de não conseguir explicar como as mudanças ocorriam nos organismos e como essas eram passadas aos descendentes, influenciou profundamente os evolucionistas de todo o mundo e tornou-se a base da teoria evolutiva moderna.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: