Hereditariedade

Você está aqui: Home / Genética / Hereditariedade

A transmissão dos genes depende do processo de duplicação do DNA
A transmissão dos genes depende do processo de duplicação do DNA

Curtidas

0

por Helivania

Compartilhe:
Por Helivania Sardinha dos Santos

A hereditariedade pode ser definida como a transmissão de caracteres de uma geração à outra. As primeiras noções sobre hereditariedade provavelmente surgiram com a domesticação de animais e a agricultura, pois pode-se perceber que, ao se reproduzirem, os organismos geravam indivíduos de sua mesma espécie e semelhantes aos genitores.

No entanto, durante muito tempo não se sabia ao certo como esse mecanismo ocorria e muitas teorias surgiram a respeito. Até os anos 1800, a hipótese mais aceita era a de que o material genético dos pais se misturavam dando origem ao novo indivíduo. Mas, segundo essa hipótese, as populações que surgissem deveriam ser uniformes, o que não acontece.

Assim, depois de várias hipóteses que se mostravam falhas ao explicar alguns aspectos da hereditariedade, surge a hipótese da herança particulada. Nessa hipótese, os pais transmitem partículas com suas características aos seus descendentes, surge assim a ideia de gene. Embora a natureza do material genético só tenha sido desvendada em meados do século passado com avanços tecnológicos e a apresentação do modelo de DNA por Watson e Crick (1953).

Os princípios básicos da hereditariedade foram descobertos pelo monge austríaco Gregor Mendel, através da realização de experimentos com o cruzamento de diversas variedades de ervilhas e análise de diversas gerações de descendentes. Os experimentos duraram quase uma década, o que permitiu que elaborasse uma hipótese para a explicação de seus resultados. No entanto, seus resultados só foram reconhecidos em 1900, pelo biólogo holandês Hugo de Vries (1848-1935).

Os resultados do trabalho de Mendel permitiram explicar as bases da hereditariedade, que estão descritas nas leis de Mendel, também conhecidas como leis da hereditariedade:

Cada característica é condicionada por dois fatores que se separam na formação dos gametas. Cada gameta recebe apenas um desses fatores.

Os genes para duas ou mais características são transmitidas aos gametas de forma independente e se recombinam ao acaso.

A transmissão dos genes depende do processo de duplicação do DNA. Esse processo ocorre por meio da mitose, em organismos que apresentam reprodução assexuada, e da meiose, em organismos com reprodução sexuada.


Por Ma. Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

por Helivania

Compartilhe: