Transfusão de sangue e o sistema ABO

Você está aqui: Home / Genética / Transfusão de sangue e o sistema ABO

Analisar o tipo sanguíneo é fundamental para escolher um doador de sangue
Analisar o tipo sanguíneo é fundamental para escolher um doador de sangue

Curtidas

0

Comentários

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

O sistema ABO é formado por três alelos principais (IA, IB e i), que codificam seis genótipos: IAIA, IAi, IBIB, IBi, IAIBe ii. São esses diferentes genótipos que determinam se uma pessoa apresenta sangue tipo A, B, AB ou O.

Conhecer o tipo sanguíneo de uma pessoa é fundamental para que transfusões ocorram de maneira adequada. A administração de um sangue incorreto, por exemplo, pode causar uma ocorrência denominada de reação hemolítica aguda, que provoca a destruição das hemácias (hemólise) do sangue recebido, dor lombar, febre, hipotensão, náusea e falta de ar no paciente. Quando não tratada adequadamente, a pessoa que sofreu a transfusão pode morrer em decorrência desse processo.

Os tipos sanguíneos são diferenciados pelos polissacarídeos encontrados na membrana celular das hemácias, denominados de aglutinogênios, e pelos anticorpos encontrados no plasma, que são chamados de aglutininas. No sistema ABO, existem apenas dois tipos de aglutinogênios (a e b) e dois tipos de aglutininas (anti-a e anti-b). Cada tipo sanguíneo possui um aglutinogênio na hemácia e uma aglutinina no plasma contra os outros tipos de aglutinogênio existentes. Observe o quadro a seguir:

Analisando o quadro, podemos observar que na hemácia de uma pessoa com sangue tipo A há um aglutinogênio a e, no plasma, uma aglutinina anti-b. Se for administrado sangue tipo B nesse indivíduo, as aglutininas atacarão a hemácia do sangue doado e, consequentemente, causarão a sua destruição.

Sendo assim, podemos perceber que uma pessoa de sangue tipo O pode doar para pacientes com qualquer tipo sanguíneo, uma vez que o tipo O não possui aglutinogênio. A pessoa com sangue tipo AB, por sua vez, não pode doar sangue para outros tipos, pois apresenta aglutinogênio a e b que reagirão com as aglutininas presentes nos outros tipos sanguíneos. Já o sangue A pode ser recebido por pacientes com sangue tipo A e AB, enquanto o tipo B pode ser doado para pacientes de sangue tipo B e AB. Vale destacar, no entanto, que apesar de serem possíveis transfusões entre pessoas de tipos sanguíneos diferentes, esse procedimento não é feito com frequência nos hospitais, dando-se preferência ao mesmo tipo sanguíneo.

Analise o esquema a seguir e veja em que casos ocorre a destruição das hemácias:

Veja a destruição das hemácias causada pela presença de anticorpos no plasma do receptor
Veja a destruição das hemácias causada pela presença de anticorpos no plasma do receptor

O princípio usado para saber qual tipo sanguíneo pode ser utilizado em uma doação é o mesmo adotado para saber o tipo sanguíneo de uma pessoa. Se colocarmos, por exemplo, uma porção de sangue em uma lâmina, pingarmos algumas gotas de soro anti-b e ocorrer a aglutinação, poderemos supor que se trata de um sangue B ou AB. Para retirar a dúvida, basta colocar anti-a e verificar se ocorre ou não a aglutinação. Caso ocorra, podemos concluir que se trata de um sangue AB, que apresenta aglutinogênio A e B.

ATENÇÃO: É importante destacar que, para uma doação de sangue, não é analisado apenas o tipo sanguíneo, sendo fundamental o reconhecimento do fator Rh.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: