Células da glia

Você está aqui: Home / Histologia Animal / Células da glia

As células da glia apresentam diversos tipos celulares exercendo as mais diversas funções
As células da glia apresentam diversos tipos celulares exercendo as mais diversas funções

Curtidas

0

por Helivania

Compartilhe:

As células da glia, células gliais ou neuróglia são diversos tipos celulares presentes no sistema nervoso central. Elas não geram impulsos nervosos, não formam sinapses e, ao contrário dos neurônios, são capazes de se multiplicar através do processo de mitose, mesmo em indivíduos adultos.

Assim, as células da glia atuam como células de suporte aos neurônios. Dentre as diversas funções exercidas por essas células, podemos destacar:

  • Sustentação e isolamento dos neurônios;

  • Transporte de substâncias nutritivas aos neurônios;

  • Participação no equilíbrio iônico do fluido extracelular;

  • Remoção de excretas e fagocitose de restos celulares.

As células da glia são mais numerosas que os neurônios, existem cerca de 10 células da glia para cada neurônio no sistema nervoso central. No entanto, por ter um tamanho reduzido, ocupam aproximadamente a metade do volume do tecido nervoso.

Podemos encontrar nas células da glia os seguintes tipos celulares:

  • astrócitos: são as maiores células, possuem núcleo central e esférico. Têm como função a sustentação e a nutrição, pois suas ramificações se ligam a capilares sanguíneos fazendo o transporte de nutrientes;

  • micróglia: apresentam o corpo alongado e pequeno, com um núcleo também alongado e denso. São células macrofágicas, responsáveis pela fagocitose de corpos estranhos e restos celulares;

  • oligodendrócitos: são caracterizadas por apresentarem poucos e curtos prolongamentos celulares. Produzem a mielina do sistema nervosos central. No sistema nervoso periférico, essa função é exercida pelas células de Schwann;

  • ependimárias: são cilíndricas, com núcleos alongados, apresentando arranjo epitelial. Sua função é o revestimento das cavidades do sistema nervoso central.


Por Ma. Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

por Helivania

Compartilhe: