Anelídeos

Você está aqui: Home / Zoologia / Anelídeos

A minhoca é representante do Filo Annelida. Observe seu corpo dotado de segmentos
A minhoca é representante do Filo Annelida. Observe seu corpo dotado de segmentos

Curtidas

0

Comentários

0

por Vanessa

Compartilhe:
Por Vanessa Sardinha

Os anelídeos (Filo Annelida) são animais triblásticos, que apresentam celoma (cavidade revestida pela mesoderme) e possuem o corpo composto por segmentos (metameria). Entre os representantes desse filo, podemos citar a minhoca, animal muito usado como isca em pescarias e conhecido graças à capacidade de formação do húmus. Além disso, existem espécies marinhas, como os poliquetas; e ectoparasitas, como as sanguessugas.

Os segmentos do corpo dos anelídeos são denominados metâmeros. Cada segmento é separado internamente por uma membrana que apresenta musculatura própria, ou seja, o alongamento e encurtamento dos segmentos independem um dos outros. Além disso, é encontrado um par de gânglios nervosos, um par de órgãos excretores e um par de bolsas celômicas em cada metâmero.

Os anelídeos possuem um sistema circulatório fechado, composto por dois vasos longitudinais ligados por meio de vasos laterais. Na região anterior, os vasos laterais possuem capacidade de contração, impulsionando, assim, o sangue. Graças a essa capacidade de bombeá-lo, são chamados de corações laterais. Os anelídeos possuem hemoglobina, mesmo pigmento existente no sangue dos seres humanos. Essa substância, formada principalmente por ferro, ajuda no transporte de oxigênio.

O sistema digestório é completo, ou seja, possui boca e ânus, e a digestão é externa. Sua alimentação baseia-se praticamente na ingestão de matéria orgânica vegetal em decomposição. Entretanto, podem apresentar espécies com outros tipos de alimentação, é o exemplo da sanguessuga, que se alimenta de sangue de outros animais.

Nesses animais, as trocas gasosas ocorrem pela pele, em alguns representantes, e em brânquias, em outros. Os poliquetas são exemplos de representantes que respiram por brânquias, enquanto as minhocas e sanguessugas apresentam respiração cutânea.

O sistema nervoso apresenta-se como um cordão nervoso ventral que possui um par de gânglios por metâmero. Na parte anterior do animal, existe um par de gânglios cerebrais que funcionam como um “cérebro”. Desses gânglios ramificam-se nervos para os músculos e células sensoriais.

O sistema excretor é formado por metanefrídeos, que são constituídos pelo nefróstoma, estrutura ciliada em forma de funil que atua retirando substâncias do fluido celomático, e o nefridióporo, que é a região por onde as substâncias indesejáveis são eliminadas.

Podemos dividir o filo em três classes de acordo com o número de cerdas: oligoquetos, poliquetos, hirudíneos.

Os oligoquetos são caracterizados por possuírem poucas cerdas. A maioria dos representantes é terrestre, mas existem representantes de água doce. Nesse grupo, podemos incluir as minhocas. Esses animais são hermafroditos, fazem fecundação cruzada e seu desenvolvimento é direto.

Os poliquetos são marinhos e apresentam muitas cerdas. Alguns têm hábito de vida livre-natante, outros vivem de modo séssil. Possuem sexos separados, fecundação externa e desenvolvimento indireto.

Os hirudíneos são anelídeos que não possuem cerdas. A grande maioria vive em água doce, entretanto existem representantes de água salgada e ambientes úmidos. Podemos citar as sanguessugas como seus representantes. Eles são hermafroditos, com fecundação cruzada e desenvolvimento direto.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

Compartilhe: