Peixes

Você está aqui: Home / Zoologia / Peixes

Os peixes são animais aquáticos que respiram através de brânquias
Os peixes são animais aquáticos que respiram através de brânquias

Curtidas

0

por Vanessa

29 Aug 2014

Compartilhe:

Os peixes são animais que vivem apenas em ambientes aquáticos e representam o maior grupo de vertebrados que existe. Possuem variados tipos de forma, hábitos de vida e de alimentação, apresentando animais herbívoros, carnívoros, onívoros e até detritívoros.

Podem ser classificados em três grupos principais: ágnatos (agnatha), os ósseos (osteíctes) e os cartilaginosos (condrictes). Os ágnatos caracterizam-se por não possuírem mandíbula e apresentarem uma boca circular. Além disso, apresentam esqueleto cartilaginoso e notocorda que perdura por toda a vida. Atualmente só são encontrados dois grupos desses animais: as lampreias e as feiticeiras.

Os peixes ósseos e cartilaginosos diferenciam-se dos ágnatos por possuírem mandíbula, recebendo o nome de gnatostomados graças a essa característica. Esses dois grupos diferem-se entre si principalmente pela presença de esqueleto ósseo nos osteíctes e esqueleto cartilaginoso nos condrictes. Como exemplo de peixes cartilaginosos, podemos citar os tubarões e raias; como representantes dos osteíctes, podemos citar o salmão e o peixe-palhaço.

Os peixes podem ser divididos em: agnatos, condrictes e osteíctes
Os peixes podem ser divididos em: agnatos, condrictes e osteíctes

A grande maioria dos peixes possui corpo recoberto por escamas, sendo que elas diferenciam-se em cada grupo. Nos peixes ósseos, as escamas possuem origem dérmica, enquanto, nos cartilaginosos, possuem origem dermo epidérmica. Já os agnatos são animais sem escamas. Além das escamas, encontramos nos peixes uma grande quantidade de muco ao redor do corpo, que atua reduzindo o atrito com a água.

A respiração dos peixes é branquial, sendo que, em peixes ósseos, as brânquias encontram-se cobertas por estruturas chamadas de opérculo. Nos peixes cartilaginosos, as brânquias geralmente se encontram desprotegidas.

A seta vermelha indica o opérculo, uma estrutura que protege as brânquias de alguns peixes
A seta vermelha indica o opérculo, uma estrutura que protege as brânquias de alguns peixes

A circulação sanguínea é simples e completa. O coração desses animais apresenta apenas duas cavidades, onde passa unicamente sangue venoso. Apresentam um sistema excretor formado por rins mesonefros.

Uma estrutura muito importante encontrada nos peixes é a linha lateral, que é responsável pela captação dos movimentos na água. Ao longo dessa linha são encontrados diversos mecanorreceptores, que são responsáveis pela percepção das vibrações e pela transmissão para as células nervosas.

Para se locomoverem, os peixes utilizam estruturas que recebem o nome de nadadeiras, além de possuírem um corpo hidrodinâmico que auxilia na natação. Esses animais também possuem adaptações que permitem que eles consigam flutuar e manter-se em uma determinada posição, tais como: bexigas natatórias e fígados cheios de óleo. Em alguns grupos de peixes (Dipnoicos), a bexiga natatória também funciona como pulmão, permitindo que eles fiquem algum tempo fora da água.

A reprodução diferencia-se entre os peixes cartilaginosos e os ósseos. Nesses últimos, a fecundação é geralmente externa e o desenvolvimento é indireto, ou seja, há a formação de uma larva. Esta larva posteriomente se desenvolve e forma o alevino. Nos peixes cartilaginosos, o desenvolvimento é direto e a fecundação é interna.

Curiosidade: Algumas espécies de peixes na época de reprodução nadam até próximo à nascente dos rios para colocar seus ovos. Esse fenômeno recebe o nome de piracema. Nessa época, a pesca é proibida.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Curtidas

0

por Vanessa

29 Aug 2014

Compartilhe: