Alzheimer

Você está aqui: Home / Anatomia e Fisiologia Animal / Alzheimer

A perda de memória é uma das principais características do Alzheimer
A perda de memória é uma das principais características do Alzheimer

Curtidas

0

Comentários

0

por Helivania

Compartilhe:
Por Helivania Sardinha dos Santos

Alzheimer ou Doença de Alzheimer é uma patologia neurodegenerativa, que pode ser provocada por mudanças estruturais e alterações nos neurotransmissores, causando a deterioração cognitiva e da memória. Esse quadro leva a uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais.

Os comprometimentos causados pela doença de Alzheimer ocorrem progressivamente até tornarem-se incapacitantes. Os principais fatores de risco dessa doença são a idade avançada e histórico familiar.

Sintomas

Os sintomas surgem de forma leve e vão se agravando:

  • Lapsos de memória;

  • Deficit de atenção;

  • Perda da fluência verbal;

  • Perda das funções cognitivas;

  • Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

    Distúrbios comportamentais (irritabilidade, agressividade, depressão);

  • Perda da lucidez, entre outros.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença de Alzheimer não é simples e é realizado pelo processo de exclusão, em que se avalia se o paciente pode estar, por exemplo, com depressão, deficit de vitaminas ou problemas hormonais, como disfunções da tireoide. Além disso, são necessários exames físicos e neurológicos, além de avaliação cognitiva.

Tratamento

Ainda não existe cura para Alzheimer, no entanto, alguns medicamentos podem ser utilizados para o que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida. Em estágio inicial, os tratamentos têm apresentado os bons resultados, como a melhora da cognição. No entanto, ainda há muito o que progredir nas formas de tratamento, assim, acredita-se que o número de doentes sintomáticos aumente cada dia mais.

Prevenção

A melhor forma de prevenção, não apenas em relação ao Alzheimer, é manter uma vida ativa, principalmente com a realização de atividades físicas, o que prolonga a autonomia do indivíduo, melhorando sua autoestima, capacidades funcionais e sociais. Estudos também mostram que atividades físicas aumentam os níveis de neurotransmissores, o que acarreta em uma melhora na função cognitiva.

Curtidas

0

por Helivania

Compartilhe: